domingo, 1 de fevereiro de 2015

A mídia vende tudo, inclusive a pátria

Só fazendo um "mea maxima culpa" - O fato é que estou ficando cansado.

Não podemos entrar nesta briga espúria contra a Petrobrás, pois se você já leu "Por Quem os Sinos Dobram" do Hemingway, sabe que seu personagem John Donne fez uma das reflexões mais coesas da história da literatura:
“Nenhum homem é uma ilha isolada; cada homem é uma partícula do continente, uma parte da terra; se um torrão é arrastado para o mar, a Europa fica diminuída, como se fosse um promontório, como se fosse a casa dos teus amigos ou a tua própria; a morte de qualquer homem diminui-me, porque sou parte do gênero humano. E por isso não perguntes por quem os sinos dobram; eles dobram por ti”.

- Precisamos de partidos fortes e representativos, e de uma imprensa que defenda os interesses da Pátria. A grande imprensa não é brasileira, não gosta do Brasil, e trata a todos nós como párias da sociedade.
Não estou falando de imprensa censurada, mas de um jornalismo real, sério, honesto e nacionalista, como são os meios norte-americanos e britânicos, por exemplo.
Sem partidos definidos com perfil ideológico claro, estamos fadados a uma convulsão social promovido por esta imprensa golpista a favor de qualquer um que pague mais (pode ser chinês, russo, árabe ou inglês).

Esta mesma imprensa que censura as novas lideranças e deturpa as que não atendem aos seus caprichos ardilosos, quer sejam de esquerda ou de direita, provocou um hiato sem lideranças capazes de reverter um quadro de crise política que se agiganta.

- O PTB de Getúlio era o partido do povo. Hoje é um satélite do PSDB.
- O PDT de Brizola era o partido da esperança. Hoje está migrando para a UDN/PFL/DEM, numa confusa aritmética que o levará à extinção.
- O PPS era a nova face da esquerda. Hoje é um satélite do PSDB.
- O PCdoB está abrigado no PT.
- PSTU e PCO não dialogam. É interessante, mas impede avanços.
- PSOL é uma incógnita - tem ações que denotam uma postura à extrema direita e outras à extrema esquerda. 
- O PSB, da esquerda acadêmica, membro fundador do Foro São Paulo, saiu do trilho da sua história de setenta anos.
- O PMN, que tem desde a sua fundação a tese da esquerda revolucionária, já teve o Brigadeiro Ivan Frota como candidato a presidente. Esteve com o PT, depois com o PSDB, dialoga com o PSOL e segue a vida.
- PMDB, PT e PSDB é o que temos para hoje, com defeitos e virtudes. Têm a obrigação de mostrar ao povo que estão a serviço do país. Que suas lideranças ascendam à postura de erguer o Brasil para todos os brasileiros nesta nova e viciada formação do Congresso Nacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário