terça-feira, 22 de março de 2016

Qualquer coisa

Jura que me ama, jura? Jura? Jura? Vai, jura prá mim, olha nos meus olhos e jura, vai, jura aí ...

Não.

Pelo amor de Deus, por tudo que é mais sagrado, não faz isto comigo. Jura, vai, jura que me ama.

Não.

Não precisa olhar nos meus olhos, então. É só jurar, caramba, não custa nada.

Custa e a resposta é não.

Olha, eu faço qualquer coisa, mas qualquer coisa mesmo, se você jurar. Qualquer coisa.

Sério? Qualquer coisa?

Lógico que não, seu otário... mas jura, vai, você cedeu quando eu falei qualquer coisa.

Não.

É isto aí!


Nenhum comentário:

Postar um comentário