segunda-feira, 4 de abril de 2016

O analista da Pitangueira e o armário.

Olá, tudo bem?

Não.

Então entre e vamos avaliar este sentimento.

Tudo bem quanto a entrar, mas daí a avaliar este sentimento acho no mínimo insensato.

Interessante, quer falar sobre esta sensação de insensatez?

Veja bem; você cobra por hora e eu geralmente pago por programa.

Entendo. Acredita que a minha atividade é prostituta de uma forma diferenciada?

O senhor quem disse isto.

Bem, já que estamos num caminho interessante, fale o que o trouxe aqui.

Primeiro não existe "nós".

Como assim?

Esta fala barata de estarmos no caminho. Eu não estou no seu caminho.

Com certeza não está.

Mas mesmo assim disse.

Se estamos os dois aqui, de alguma forma estamos num processo onde caminharemos na mesma direção, a qual você será o condutor e eu apenas analisarei a paisagem e as condições da estrada.

Ah, bom. Eu é que serei o condutor. Gostei de saber. Achei que o senhor tinha por hábito querer ser o macho alfa de uma relação de análise.

E isto te incomoda?

Como assim? Para onde quer levar esta conversa. O senhor é solteiro liberal?

Não. Eu não sou, mas seria importante para você que seu analista fosse um solteiro liberal?

Levantou-se abruptamente e nunca mais voltou ...

É isto aí!


Nenhum comentário:

Postar um comentário