sexta-feira, 10 de junho de 2016

Tipo assim um soslaio (poemeu)



No desvelo
do amor
leve e teso
fiquei preso

Em decúbito
e você nua
súbito de lua
percebo o medo.

Pelo passado
cego e vesgo
de soslaio sei
é arremedo.


É isto aí!





Nenhum comentário:

Postar um comentário