quarta-feira, 5 de abril de 2017

A indignação dos ratos do bem

Salvador Dali - A face da guerra - 1940
Não é costume deste que preza por uma rotina de poucas perspectivas cheia de vadiagem, mas resolvi subir novamente a Colina do Bom Senso para admirar Pindorama, lá onde tem palmeiras, as aves gorjeiam e não canta a sabiá.

Fiz isto motivado (se é que isto é possível) dado as parvoíces em escala imensurável promovidas e provocadas pelos bestiais ratos do bem de sempre.

Do alto da colina ocorreu-me um caso que escutei num ambiente social, destes de presença compulsória. Contava-se entre gargalhadas de uns e prantos de viúvas ao fundo, que tempos atrás, segundo confidenciou um amigo de uns amigos de amigos e amigas, um dos ratos do bem, da nata sobrenadante de resíduos sólidos da alta sociedade, teve acesso a um drama digno análise, nas areias de determinada praia de determinada cidade de determinado estado de Pindorama.

Este rato, condenado a ser um coadjuvante eterno, auto-proclamou-se triunfantemente como o "Rato dos homens de bem", Em função de uma série de fatos que geraram seu rico acervo mental, um deles veio a público num dia chuvoso, quando manifestou um desejo incontrolável (ao erário) de ser um mito da modernidade pindorâmica. 

Mas como as coisas erradas sempre terminam erradas, segundo informações constantes da lenda urbana, ele perdeu esta oportunidade e desde a fatídica data ficou obcecado pelo pensamento de que aconteceria alguma coisa de desagradável, alguma coisa de dolorosa às duas coisas que ele mais ama - seu poder nas areias paradisíacas da corte imperial ou a uma amada, idolatrada, salve-salve conta no exterior.

Reza a lenda, daí a semelhança, que seu maior medo paranóico era que ratos entrassem em sua ética aparente, pudica à distância, etc e tal, 

Daqui, da Colina do Bom Senso, fiquei com a impressão de que a sua piscina já está cheia de ratos .há muitos anos ...

E viva Nelson Rodrigues - a pátria de chuteiras tem complexo de viralatas, e daqui da Pitangueira arremata-se: daí só bate panela para a senzala e a choldra.

E pelo complexo de viralatas, citarei um pensador inglês - sim meus amigos e amigas, os ingleses não só sacaneiam, eles também  pensam:

“Nenhum poder governamental pode ser abusado por muito tempo. A espécie humana não tolera isso. Existe um remédio na natureza humana contra a tirania que nos manterá a salvo sob toda forma de governo.” 

É isto aí!



Nenhum comentário:

Postar um comentário