domingo, 30 de abril de 2017

"Mas nós sabemos que a lei é boa, contanto que dela se faça um uso legítimo" 1 Timóteo 1:9

Eu queria escrever que este grupo que tomou de assalto a pátria é nefasto, mas estou com muita raiva para escrever sobre isto.

Eu queria escrever sobre a classe média que sente vergonha de ser classe média e fica lambendo e babando na sola dos ricos, mas estou muito decepcionado por ter amigos nesta condição.

Eu queria escrever sobre a falência provocativa do SUS, mas estou me sentido enojado da gula dos grandes grupos que estão para tomar de assalto as dores do povo.

Eu queria escrever sobre meu amigo Sérgio que buscou hoje a saída abrupta deste plano existencial deixando o testemunho de que toda esta maldade golpista o havia consumido e destruído seus sonhos.

Eu queria escrever sobre o ensino público, vendido e destruído para louvor e glória de grandes filhos de putas ricas.

Eu queria escrever sobre o crime do sistema financeiro sobre a classe média, com juros desleais e custos estratosféricos.

Eu queria escrever sobre coisas bonitas da manifestação popular de ontem, mas a violência desproporcional dos senhores que se julgam superiores sobre os homens e mulheres que trabalham e produzem a riqueza deste país, neste dia de paralisação e greve nacional foi criminosa. Um dia, e este dia chega, a conta vence.

Eu queria escrever sobre a justiça cega, sobre a insegurança, sobre os bilhões roubados por canalhas instalados nos poderes constitucionais e  que fazem escárnio da nossa luta, mas como direito de todos os cidadãos, a justiça realmente está cega. 

É isto aí!

2 comentários:

  1. Respostas
    1. Amanda,

      Que bom ter você aqui. Você tão cândida nas suas crônicas sobre o universo feminino e eu aqui, feito um desvalido buscando palavras e coisas para serem palavras. E a dor da gente não acaba, a luta é contínua.

      Um abraço

      Excluir