domingo, 28 de maio de 2017

Gemidos e absurdos a dois

O rapaz era tímido, 
muito muito tímido. 
Primeiramente 
encantou-se por Isadora, 
depois apaixonou-se 
depois permitiu-se aproximar 
e depois o vazio 
dos que amam solitariamente. 

A moça era simples
muito muito simples
Primeiramente
sonhou com João Pedro
depois apaixonou-se
depois permitiu-se aproximar
e depois o vazio
dos que amam solitariamente

O rapaz tímido
cruzou com o destino
por obra do divino 
com a moça simples
deram-se olhares
entregaram as mãos
nomearam-se par
parturientes de mimos
sem a pressa do dia
de serem felizes
e se descobriram
ora ardente ora delirante
ora obscena ora pérfida

Mas cadê o amor por Isadora
Pensou no silêncio do silêncio
Tépida hummm ela era tépida
Naqueles dias vieram orgasmos,
carícias e poliafagos

E João Pedro, o que foi aquilo
meditou a moça
sob a lucidez do silêncio
estúpido hummm ele era estúpido
Naqueles dias vieram beijos, 
gemidos e absurdos a dois

É isto aí!


Nenhum comentário:

Postar um comentário