domingo, 23 de julho de 2017

Estou triste e minha tristeza não me alimenta, se alimenta de mim.

Estou triste (muito triste)
e minha tristeza (intransferível)
não me alimenta (estou fraco)
se alimenta de mim (tristisfagia)

Estou triste
e minha tristeza
tesa
perdura inflexível

minh'alma triste ...
tensa amargura
na aparente calma
tortura tortura

Num instante
Num lúmen vital
Num espaço vazio
meu corpo é triste

minh'alma triste
leviga, definha
então sou e estou
muitas tristezas

triste infeliz
triste tristonho
triste jururu
triste desanimado

triste descontente
triste desgostoso
triste deprimido
triste desolado

triste choroso
triste melancólico
triste sorumbático
triste amargurado

triste lastimoso
triste soturno
triste malcontente
triste consternado

triste lamentoso
triste taciturno
triste aborrecido
triste prostrado

triste desalegre
triste injucundo
triste angustiante
triste magoado

triste pesaroso
triste lamentável
triste cruciante
triste atordoado

triste penoso
triste difícil
triste grave
triste penalizado

triste doloroso
triste aflitivo
triste duro
triste macabro

triste desgostoso
triste sentido
triste aflito
triste inadequado

triste silencioso
triste fúnebre
triste sepulcral
triste inapropriado

triste lúgubre
triste sombrio
triste obscuro
triste maculado

triste horroroso
triste escuro
triste sinistro
triste isolado

triste tétrico
triste lôbrego
triste mau
triste desenganado

triste ruim
triste péssimo
triste horrível
triste derrotado.


É isto aí!

4 comentários:

  1. É isso ai, pegou todos os tristes para si, agora é só jogar fora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida poetisa Enide

      O fato de você estar aqui na Pitangueira já é um evento indescritível - suas poesias, suas formas de expressar e ver o mundo pelas letras.
      Obrigado pelas palavras e aproveito para falar do seu blog - sensacional - http://tipopensamento.blogspot.com.br/
      Um abraço Enide, e vamos em frente que a luta continua!

      Excluir
  2. Minas Gerais, 25 de julho de 2017

    Caro Paulo e suas trinta tristezas,
    tendo a não rejeitar a tristeza, ao menos as minhas. Tento não alimentá-las muito bem para que não se acostumem e queiram voltar muitas vezes, mas não as espanto. Se me querem, eu deixo elas virem, sem urgência ou desespero de afastá-las.
    Eu tenho uma tristeza, herdada de família - Triste amuada. Meu avô se declarava um "triste amuado" e eu gostei sempre da palavra. Mais tarde, já afeiçoada ao adjetivo, descobri uma beleza de pintura com este título, lá no Museu de Juiz de Fora "Amuada" (Belmiro de Almeida) e mais gostei de ser (não sempre, é claro!)uma triste amuada.
    Há tanta beleza também em estar triste.
    A pintura:
    http://www.dezenovevinte.net/bios/bio_ba_arquivos/ba_1906_amuada.jpg


    E o seu texto me lembrou muito o Livro do Desassossego, especialmente este trecho:
    "A mania do absurdo e do paradoxo é a alegria animal dos tristes. Como o homem normal diz disparates por vitalidade, e por sangue dá palmadas nas costas de outros, os incapazes de entusiasmo e alegria dão cambalhotas na inteligência e, a seu modo, fazem os gestos da vida”.

    É isto: os tristes também fazem gestos de vida...ao seu modo.
    Abraços,
    Amanda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amanda,

      Puxa vida, que comentário emocionante foi este? E a pintura - sensacional.
      E quanto à dica literária, vou ler.
      Como sempre você é tudo de bom!

      Abraços

      Excluir