sábado, 8 de julho de 2017

Maia vem aí!

Cidadãos e cidadelas, hoje nessa querida e próspera cidade deste grande país lanço a pedra fodamental que assolará o mais rigoroso dia de lua de nova. Teremos-nus brilho nos olhos, teremos lágrimas nos olhos, teremos olhos nos olhos de toda a gente honesta, funesta, cafajesta, etccesta etcesta e tal e testa, que comece logo a festa.

Nosso pogresso deve-ce muito mais ao que aqui falamos por assim dizer do que aquilo que não fazemos à vistas de vocês. Temos que lutar para tirar os ladrões, os fascínoraxos, os bandidos de fraque e bengala que se fingem de vivo mas são mortos de cemitério clandestino enterrados feito endegentes prolixos da querência clássica segundo disse a firmou o grande filósifo Calógeras Marconedes, que se assim não o disse nestas palavars, deveria te-las feito pois se dão bem com nossa pátria.

Eu se lá vá me vou acabar com as maracutaias dos adversários, vai tudo preso na prisão da penitenciária que tem lá no presídio da cadeia municipal da nossa cidade. Aqui basta ser nosso adversário para a gente saber que é ladrão. Nós somos a história viva desta cidade, nós somos bons, nós somos do bem, nós somos legais, nós somos ricos.

E para encerrar no fim e indo aos finalmente, vote-se em mim, por que seu eu ganhar eu vou transformar esta cidade naquilo que sempre fiz, só que com mais novidades, e se eu perder, não tem descanso, eu volto pela vontade das ruas amarelas, eu quebro tudo pelo força dos patos, eu arrebento e assumo pela vontade do meu povo. Amém

É isto aí!

Nenhum comentário:

Postar um comentário