quinta-feira, 18 de outubro de 2018

À flor da Pele (Chico Buarque)


O que será que me dá
Que me bole por dentro, será que me dá
Que brota à flor da pele, será que me dá
E que me sobe às faces e me faz corar
E que me salta aos olhos a me atraiçoar
E que me aperta o peito e me faz confessar
O que não tem mais jeito de dissimular
E que nem é direito ninguém recusar
E que me faz mendigo, me faz suplicar
O que não tem medida, nem nunca terá
O que não tem remédio, nem nunca terá
O que não tem receita

O que será que será
Que dá dentro da gente e que não devia
Que desacata a gente, que é revelia
Que é feito uma aguardente que não sacia
Que é feito estar doente de uma folia
Que nem dez mandamentos vão conciliar
Nem todos os unguentos vão aliviar
Nem todos os quebrantos, toda alquimia
E nem todos os santos, será que será
O que não tem descanso, nem nunca terá
O que não tem cansaço, nem nunca terá
O que não tem limite

O que será que me dá
Que me queima por dentro, será que me dá
Que me perturba o sono, será que me dá
Que todos os tremores me vêm agitar
Que todos os ardores me vêm atiçar
Que todos os suores me vêm encharcar
Que todos os meus nervos estão a rogar
Que todos os meus órgãos estão a clamar
E uma aflição medonha me faz implorar
O que não tem vergonha, nem nunca terá
O que não tem governo, nem nunca terá
O que não tem juízo

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

Meditação (Tom Jobim)

Meditação - Tom Jobim

Quem acreditou
No amor, no sorriso, na flor
Então sonhou, sonhou...
E perdeu a paz
O amor, o sorriso e a flor
Se transformam depressa demais

Quem, no coração
Abrigou a tristeza de ver tudo isto se perder
E, na solidão
Procurou um caminho e seguiu,
Já descrente de um dia feliz

Quem chorou, chorou
E tanto que seu pranto já secou
Quem depois voltou
Ao amor, ao sorriso e à flor
Então tudo encontrou
E a própria dor
Revelou o caminho do amor
E a tristeza acabou


quinta-feira, 11 de outubro de 2018

How to fix a broken heart | Guy Winch

Eu sou App, o deus do Monte Whats

Imagem relacionada
hubble telescope

Estava Geraldinho contemplando o imenso vazio existencial da sua vida quando de repente, não mais que de repente, um flash de luz clareou a escuridão na qual estava mergulhado. Sentindo o chamado, subiu no Monte Whats, e eis que surgiu uma energia manifesta.

Geraldinho, retire as havaianas, aqui é um lugar secreto, asséptico e profano, porém limpinho.

Mas ... mas ... quem é você?

Eu sou seu deus App.

Caramba, o deus do Monte Whats, App? Então você existe mesmo?

Sim, Geraldinho, e vim trazer as  leis que passarão a vigorar para todos que me adoram, eu App, o Bom.

Diga-me deus do Whats, App, que farei tudo que mandar.

Eis que lhe digo e assim deverá divulgar as palavras de App, o deus do Whats:

Eu sou App, o deus do Whats, agora o teu deus, que te fez sair do emprego, da sua casa, da sua família, dos seus amigos e das suas crendices tolas e vãs.

Não terá nunca mais outros deuses, pois os falsos ídolos como Orkut, Facebook, Instagram, etc são falsos deuses, com cultos pagãos.

Farás para ti um movimento que se assemelhe ao que já existe lá.

Perdão, deus App do Monte Whats, mas lá onde?

Lá. Não te interessa onde é lá. Apenas faça o movimento. Além disto se prostrarás diante desse movimento e o servirás, e ele será o teu senhor, ciumento, que pune a adversidade até a terceira e quarta geração dos que o odeiam, e que também age com descaso e desprezo até a milésima geração para aqueles que o cercam

Não pronunciarás em vão o meu nome, porque o movimento não deixará impune qualquer pessoa que pronunciar em vão o meu nome.

Lembra-te do dia de sexta-feira. Trabalharás todos os sete dias e neles realizarás todos os teus serviços, para continuar sendo pobre e herdar a minha simpatia.

Contudo, abrirá mão das férias, do décimo terceiro, do retorno de férias, do fundo de garantia, das horas extras, que serão doadas e consagradas ao movimento. 

Farás todo dia algum serviço de pelo menos quatro horas em doação a mim, o deus App do Monte Whats, tu, tuas amigas, tua esposa, tuas concubinas, teu filho, tua filha, teu escravo, tua escrava, teu animal, e o estrangeiro (cunhado, sogra, genro, etc) que estiverem morando em tua casa. 

Porquanto eu, o App, abençoo a sexta-feira.

Honra teu pai e tua mãe, desde que eles me honrem, eu sou App do Monte Whats.

Não matarás a todos que adoram, honram, rastejam por mim e idolatram o movimento, meu representante. Eu sou App, o deus do Monte Whats 

Não adulterarás, se não for necessário.

Não furtarás o que for meu.

Darás falso testemunho contra o teu próximo em casos de interesses meus, seu deus App do Monte Whats.

Cobiçarás a casa do teu próximo, se ele for um idiota. 

Cobiçarás a mulher do teu próximo, seus servos ou servas, seu boi ou jumento, e coisa alguma que lhe pertença sendo ele idólatra de orkuts, facebooks e outros falsos deuses. Eu sou seu deus, App do Monte Whats.

deus App, posso fazer só uma pergunta?

Fale, servo.

Qual é o significado da sexta-feira?

Não te interessa saber, Geraldinho. 

É isto aí!


quarta-feira, 10 de outubro de 2018

Previsão do Senhor Tempo

Resultado de imagem para guernica
Guernica - Pablo Picasso

Comunicamos a todos que teremos para os próximos dias um tempo fechado para portos, aeroportos, rodovias, ciclovias, chegando às vias de fato, com muita instabilidade, nuvens carregadas, alta pressão e fortes tempestades no decorrer do período. Hão de ter muitas pancadas aqui e ali, com possibilidade de rajadas e relâmpagos.

A temperatura permanecerá subindo, subindo, subindo por que a frente de distensão está dispersa em locais de difícil acesso, não determinados pelo GPS.

Segundo fontes que acessaram o satélite meteorológico, um forte maremoto promoverá tsunami em todo litoral, e terremotos de alta intensidade afetarão os grandes centros, com epicentro aqui e ali. 

Infelizmente tem quem goste ...

É isto aí!



sábado, 29 de setembro de 2018

Em algum lugar da Idade das Trevas


Estamos aqui, direto do Templo do Monge Trammas Gazin, que após insistentes pedidos dos seus fieis, fará uma curta aparição para responder sobre quem vencerá a eleição mundial. Senhoras e Senhores, ajoelhem-se diante do Mestre.

Mestre, diante do impasse e da insegurança da choldra, bugres e expertises, transmito ao senhor a pergunta que não quer calar. Quem será o Eleito?

- Meus filhos, os astros revelam que a grande mãe gentil parirá como líder não um latino, mas um descendente do Oriente Médio. 

Então será mesmo o eleito que a massa deleita?

- Humm, sinto decepcionar, mas não será árabe e sim persa. 

Mas, mestre ... como pode isto? Um persa?

- Sim, não um persa qualquer, mas um persa descendente dos que cruzaram o Jordão com Josué.

Um persa hebreu?

- Mais não digo. Não me importunem mais com suas curiosidades. Será assim de uma forma que parecerá ser a forma oficial ortodoxa, mas será de uma forma oficial heterodoxa, digamos assim.

Mestre, por favor... há um sujeito oculto no processo? Por favor, responda só mais esta pergunta.

- Em verdade, em verdade, vos digo que tal qual aconteceu nos tempos da desolação, assim também se dará por ocasião da chegada do persa, porque tal qual aconteceu nos dias que antecederam ao período intangível o povo que está aí nas ruas pulando e gritando em frenesi apartidário, que leva a vida comendo e bebendo com cartão de crédito, com partidos fisiológicos casando-se e oferecendo-se em matrimônio, assim será até o dia em que o intocável subirá a rampa ... ali haverá choro e ranger de dentes.

Mestre ... Mestre ... não entendemos suas palavras ... Mestre ...

- Minhas palavras não são para serem entendidas. O que virá, virá para ser cumprido o que foi combinado nas sombras do Hades,  custe o que custar.

É isto aí! 

sexta-feira, 28 de setembro de 2018

O metrônomo do coração

Helena Cristina adorava Anita e mal tinha saído da adolescência quando encantou-se com Alfredo Percalço, um jovem sem causa, do hard-rock rebelde e destemperado da comunidade local. Alfredo a princípio não retornou o encanto. Helena num segundo momento conheceu Cezar Polaco, e desistiu do desencanto. Viveram felizes para sempre.

Imaculada Graciosa, fã de Ariana Grande, havia concluído o ensino médio, fez Enem para qualquer coisa que passasse. Tinha cabelos soltos, vestido solto, alma solta e paixão presa a Tolentino Radameny, um mauricinho filho de comerciante bem sucedido da comunidade. Tolentino retornou o sentimento, fez juras de amor, mas tinha ideia fixa em ser alguém. Lalada acreditava que o alguém já o somos. Lalada encontrou um porto seguro em Lázaro Gouveia e foi feliz enquanto durou. Tolentino não deu conta da realidade, aprisionou-se no mundo bi-dimensional onde só existe o certo e o errado, fugiu de si, perdeu seu grande amor e foi infeliz para sempre, ouvindo música brega do anos 1970.

Margareth Kettlem curtia MPB quando iniciou o curso de ciências sociais. Ali conheceu Alberto Gomès, um caribenho descolado, vegano de ervas finas cultivadas em estufa com energia solar. Alberto a ensinou os passos do Mambo e foram felizes para sempre até que Margô enjoou daquele ritmo, optou pelo blue jazz, mas aí é outra historia, onde entra Geraldinho do Sax.

Cresolda Garcia amava valsas vienenses e sertanejo universitário, sonhava com contos de fada, lia todos os livros românticos, chorava em todos os filmes de final feliz. Enamorou de Kreto, mas desdenhou das suas notas graves. Enamorou de Jota Lima, mas detestava seu gosto por jazz. Enamorou de Peter Blair, mas assustou com seu péssimo gosto por pagode. Enamorou de Dedé Juras, mas foi desqualificado pelo amor ao funk. Enamorou de Deoclides Rocha, mas condenou-o pelo péssimo gosto por som experimental. Enamorou-se deste mas era cantor de bar, daquele mas era muito desafinado, daquele outro mas não conhecia Strauss e Zoldinha até hoje espera o príncipe no cavalo branco.

É isto aí!

segunda-feira, 24 de setembro de 2018

Anoushka Shankar e Patricia Kopatchinskaja - Raga Piloo

Anoushka e Patricia Kopatchinskaja homenageando o incrível violinista e maestro Yehudi Menuhin em seu centenário . "Raga Piloo" é uma peça musical incluída no álbum "West Meets East vol-2", originalmente gravada por Ravi Shankar e Yehudi. 

Anoushka Shankar sitar 
Patricia Kopatchinskaja violin 
Tanmoy Bose tabla 
Pirashanna Thevarajah mridang 
Kenji Ota tanpura


Capricho Arabe (F. Tárrega) - Alexandra Whittingham

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

As previsões do Mago da Pitangueira

Subi o Monte da Contemplação para encontrar-me com o Grande Mago da Pitangueira e saber das previsões para a vizinha Pindorama, terra onde jorra o leite e o mel.

- Mestre! É possível prever o futuro político de Pindorama?

- Sim, meu filho. O tempo é um continuum eterno, não existe passado ou futuro, tudo é presente.

- Então, Mestre, diga-me quem ganhará o pleito majoritário de Pindorama?

- Haverá eleição, meu filho?

- Sim, Mestre. Haverá!

- Haverá eleição com candidatos probos, honestos, responsáveis, patriotas, educados, respeitosos, trabalhadores, servidores da vontade popular, fieis aos desejos do povo, defensores da nação, que jamais traíram ou trairão o eleitor? Serão capazes de combater a fome, a miséria, o desemprego, a violência, o crime organizado por dentro e por fora e a desigualdade social?

- Bem, Mestre ...

- Meu filho, então não haverá eleição. Haverá um grande espetáculo e os personagens permanecerão os mesmos, apenas com atores diferentes.

- Grato, Mestre!

É isto aí! 

terça-feira, 18 de setembro de 2018

Se eu pudesse trincar a terra toda /- Fernando Pessoa


Se eu pudesse trincar a terra toda
E sentir-lhe um paladar,
E se a terra fosse uma coisa para trincar
Seria mais feliz um momento...
Mas eu nem sempre quero ser feliz.
É preciso ser de vez em quando infeliz
Para se poder ser natural...
Nem tudo é dias de sol,
E a chuva, quando falta muito, pede-se.
Por isso tomo a infelicidade com a felicidade
Naturalmente, como quem não estranha
Que haja montanhas e planícies
E que haja rochedos e erva...
O que é preciso é ser-se natural e calmo
Na felicidade ou na infelicidade,
Sentir como quem olha,
Pensar como quem anda,
E quando se vai morrer, lembrar-se de que o dia morre,
E que o poente é belo e é bela a noite que fica...
Assim é e assim seja...

7-3-1914
“O Guardador de Rebanhos”. Poemas de Alberto Caeiro. Fernando Pessoa. (Nota explicativa e notas de João Gaspar Simões e Luís de Montalvor.) Lisboa: Ática, 1946.  - 45.

sábado, 1 de setembro de 2018

Kafka é terrível, mas seus discípulos além Tejo são piores.

Um ensaio sobre o livro O Processo, de Kafka

Franz Kafka*

O acusado

A história de Josef K., funcionário de uma instituição financeira, apresenta momentos de alucinações e se aproxima de uma realidade, cruel, vivida por um jovem acusado – sem saber do que – por uma justiça burocrática, incompreensível, autoritária, perdulária e inacessível.

A narrativa aborda a insatisfação feminina, diante da forma como as mulheres são tratadas pela sociedade.

A mulher do oficial da justiça, cuja casa em que mora serve para a realização de reuniões de interrogatórios, mostra-se insatisfeita e disposta a ir para qualquer lugar com o protagonista da história.

Josef K., em visita à casa do oficial da justiça, flagrou o estudante de direito Berthold aguardando a mulher do citado funcionário, para levá-la até o juiz de instrução, objetivando manter relacionamentos amorosos.

A enfermeira Leni, outra mulher da história, cuida do advogado responsável pela defesa do processo de Josef K., e se oferece a ele. Sentou-se em seu colo, no primeiro dia que o conheceu e mostrou-se disposta a ajudá-lo.

O leitor fica sem saber se as atitudes femininas, relatadas por Kafka, tiveram a intenção de refletir a realidade à época ou se o texto aflora uma percepção, equivocada, da sua autoestima.

Em momentos de delírios, Josef K., ridiculariza a justiça.

Preguiça, ausência de controle e suborno

Afirma que a falta de investigação ou a interrupção dela ocorria por preguiça, esquecimento e medo característico dos funcionários públicos.

Contrapõe-se ao relatar que a continuidade das investigações poderia ocorrer para forçar a oferta de suborno, por parte do acusado.

Cita que o funcionário responsável pela negociação do suborno vestia-se bem, por recomendação dos colegas, para facilitar o desempenho na tarefa. Ou seja: a empáfia criada pela vestimenta induzia a elevação do valor do suborno.

O autor refere-se à justiça com severidade. Em algumas situações, expõe e castiga os funcionários que não desempenham as tarefas de forma eficaz. Dois guardas são chicoteados pelo espancador, por não cumprirem, adequadamente, as tarefas.

A capacidade do autor de dizer e desdizer, afirmar e contradizer, intuir e desentender chega a ponto de descrever cenas não ligadas diretamente à história, só para levar o leitor a divergir do que já havia concordado.

Conveniência e compreensão

Afirma que as nossas opiniões, muitas vezes, são expressões do desespero.

Chama a atenção para o fato de nos pronunciarmos a respeito de determinadas coisas conforme as nossas conveniências.

Kafka é terrível! Leva o leitor para onde ele quer, em seguida, o devolve à sua própria consciência ao afirmar, com maestria.

“A compreensão correta de uma coisa e a má compreensão desta mesma coisa não se excluem de todo”.

O livro é assim!

Quando se imagina que a solução foi justa, de justiça, ocorre o pior: condenam e matam um homem que não sabe do que foi acusado, sem direito a defesa.

A busca incessante das suas verdades o leva a sacrifícios da própria consciência.

Trata-se de um clássico da literatura mundial.

É isto aí!

Pequena nota biográfica de Kafka

*O escritor Franz Kafka nasceu no dia 3 de julho de 1883, em Praga e morreu, aos quarenta anos, de insuficiência cardíaca, no dia 3 de junho de 1924 em Klosterneuburg, Áustria.

Filho uma família judaica de classe média, seus pais Hermann Kafka (1852-1931) e Julie Kafka (1856-1934) eram comerciantes.

A maior parte da população de Praga à época falava tcheco.

Era visível a divisão entre os que se expressavam em tcheco e alemão.

A língua era usada para fortalecer a identidade nacional.

Franz Kafka se expressava nas duas línguas, escrevia em alemão por considerar a sua língua materna.

Era o mais velho dos seis irmãos.

Georg e Heinrich, morreram antes do escritor completar sete anos e as irmãs Gabriele, Valerie e Ottilie morreram durante o holocausto, na Segunda Guerra Mundial.

sexta-feira, 31 de agosto de 2018

A importância da reflexão - 2ª parte


Este trabalho está baseado nos conceitos citados nos tópicos em negrito do
Dr. David B. Peterson
Director, Center of Expertise, Leadership Development & Executive Coaching 
GOOGLE LLC - USA

03 - Do que eu preciso para ter sucesso?

Frase atribuída a Einstein: 
"Insanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes."

Vivemos num mundo cada vez mais globalizado, controlado por algorítimos que acabam promovendo um isolamento social (não uma solidão), esta relação asséptica com o outro é que é um importante vetor capaz de promover um dos erros mais comuns e destrutivos quando a pessoa quer o sucesso. Aqui se incluem os que nasceram em ambientes ricos, empoderados ou ascendentes.

A questão é pensar que sucesso é ganhar dinheiro, obter riqueza material, e para isto é necessário ser esperto, levar vantagem sempre, gozar de algum tipo de dom ou poder que apenas alguns possuem. Sucesso não é ser rico. Ser rico pode ser uma consequência, mas não necessariamente a coroação do êxito. Uma mulher pode chegar ao ápice por ser mãe, um homem por conseguir trabalhar no que sempre sonhou, etc. 

E o problema em si é que o sucesso reside em superar as crenças limitantes, achar o sentido da vida. manter a direção, não temer a tática de erros e tentativas - não existe manual de ter sucesso. Uma pessoa determinada a vencer seus desafios haverá de fracassar, chorar, levantar, fracassar, superar, seguir, fracassar, aprender, superar e seguir adiante até chegar no ponto desejado.

Se você decidir o seu rumo, sua jornada será sempre um sucesso ou poderá ser um fracasso?

Isso vai depender de quanto de valor e esperança existem em sua decisão. A melhor decisão é sempre a de que nada pode tirar você da direção tomada até atingir sua meta. Será assim que aproximará do êxito.

O Sucesso não é solitário. É um processo que é coletivo, salutar e que promove o bem. 

04 - O que importa para as outras pessoas?

Ah, o Medo! Você é importante para as pessoas que ama e que o/a amam. Sim, claro, é importante. Mas se não amar a si mesmo/a, se não se entregar aos seus sonhos,  não amará a ninguém.

Uma vez definida a Meta. Eu quero chegar neste Destino (ter um empresa, estudar algo, escrever um livro, aprender música, etc), seja passional com seu destino e:

- Não espere por alguém. Seu sonho só diz respeito a você.
- Não condicione sua jornada à ação de alguém (só vou/faço se fulana/o for ... esqueça isto).
- Pare de reclamar (de pessoas, de coisas, de política, de futebol, de religião, da companhia, etc)
- Pare de dar ouvido a reclamação das pessoas. Quem reclama quer aliados e não solução.
- Só ajude uma pessoa a resolver problemas dela se ela pedir e se você tiver competência para resolver. Estas duas coisas têm que coexistir. Se lhe pedir e você não souber, sai fora.
- Pare de dar satisfação e explicação sobre sua vida.
- Saia da presença de pessoas com princípios e valores antagônicos.
- Limite o número de amizades íntimas e pessoais. Limitar quer dizer 2 a 4 pessoas no máximo.

Acredite. Ao tomar estas atitudes, estas pessoas que descartou te acharão chato prá caramba, mas as que você encontrará no caminho dos seus sonhos te amarão como nunca.

05 - Como as pessoas me veem?

As pessoas enxergam o que você verdadeiramente transmite para elas. Simples assim. As pessoas não nos veem da mesma forma como nós nos vemos. Por exemplo, como você se comporta, o que demonstra para elas, fará com que uma imagem sua seja formada, e talvez você não concorde com ela.

06 - Eu tenho feedback sobre a perspectiva das pessoas que me veem? 

Enquanto você seguir se enganando, com certeza nunca saberá o que pensam realmente a seu respeito. Terá que baixar a guarda, investir na sua real vontade de determinar seu destino e fazer os oito exercícios vitais citados no item 4. 

É isto aí!

quinta-feira, 30 de agosto de 2018

Pausa entre uma reflexão e outra


Do alto da Colina do Bom Senso, utilizando do potente Putoscópio Astrodélico, vejo no Planeta Frack, do sistema solar de Putonia, da galáxia de Sonolombo, uma movimentação de pessoas de bem do poder telepáticonews em pleno gozo pelo mote/golpe terceirizado. 

Enfim, apelando a Darwin, acaba de ser selada a fotossíntese como fonte de alimentação da choldra.

Não posso e nem devo e nem convém transcrever os poderosos argumentos pela terceirização, mas posso sentir que o amanhã não virá para milhões de bugres, caboclos, negros e mamelucos daquele pobre planeta.

É isto aí

A importância da reflexão


Prezados amigos desde Blog. Como este assunto é um pouco longo, será dividido em várias postagens seriadas. Façam bom proveito.

Este trabalho está baseado nos conceitos citados nos tópicos em negrito do
Dr. David B. Peterson
Director, Center of Expertise, Leadership Development & Executive Coaching 
GOOGLE LLC - USA

Não é fácil fazermos uma reflexão sobre a nossa vida. O mais complicado é o medo de fazer e o medo de encontrar resposta que não seja a que desejamos. Depois de superados estes obstáculos, talvez os maiores de toda a jornada, como fazer uma reflexão madura, positiva e sincera consigo mesmo?

Porque uma reflexão sincera? Por que nosso cérebro não nos obedece de maneira nenhuma. Faz o que está gravado na Zona de Conforto, escondida em imensos labirintos da Zona Restrita de Segurança, onde você não entra, desde que supere ... os obstáculos. Ele faz isto para te preservar dos perigos que existem fora da caverna onde você e suas crenças habitam.

Bem, vamos lá. Considerando que já superou estes traumas, já resolveu refletir sobre a sua vida, o sentido da sua vida e qual direção ou ação deverão ser tomadas para dar vazão aos seus desejos. Saiba que isto é um exercício, e exercícios cansam, tendem a serem repetitivos, doloridos e chatos, mas - MAS só será assim se você não tiver coragem de mudar de vida.

Ok, vamos aos mandamentos primários de como fazer o Exercício da Reflexão:

- A reflexão tem que ter e seguir uma disciplina.
- Primeiro passo é olhar para o seu interior e se perguntar: 

01 - Quem eu quero ser?

Pense bem antes de responder. Você será o que você quer ser. Jesus nunca dava de bate-pronto o milagre, primeiro perguntava o que a pessoa queria. Veja o exemplo do cego Bartimeu. Jesus sabe que ele é cego, mas pergunta o que ele quer. Jesus sabe dos seus problemas. Pense bem, antes de falar o que quer ser. Maria, antes de qualquer resposta, perguntou ao Arcanjo Gabriel como se daria a gestação, no Velho Testamento Salomão pediu Sabedoria e Jacob pediu a Benção do Anjo do Senhor, não sem antes levar um corte na coxa que o fez manco. Já se perguntou por que ele sofreu este ferimento?

Pergunte-se e pergunte a Deus o que você quer, antes de pedir bobagem.

Então, falar o que quer ser, esquecendo quem você é e como quer estar daqui a cinco, dez anos, fará do seu pedido uma inutilidade ridícula. Não adianta falar - eu quero ser rico! Sim, e daí, ser rico não muda a sua fraqueza, a sua cegueira, a sua mágoa, etc. Já pensou assim antes?

02 - Quais são meus valores e princípios? Abaixo 250 exemplos de valores e princípios. Não tenha pressa. É provável que você nunca fez esta pergunta a si próprio. Não se renda a esta lista se seus valores e princípios forem outros não constantes aqui. 

É um exercício que demanda tempo. Cada linha tem cinco valores. Então não tenha pressa, tenha consciência. Vá anotando de cada linha de cinco valores, algum valor ou valores  que o identifique. Você estará se revelando pela primeira vez, sem censura.

Não há obrigatoriedade de escolher um valor por linha. Haverá linha com a qual não identifica com nenhum valor, em outra terá três, etc. Para cada valor proposto, faça a pergunta a si mesmo:

Exemplo:

Abundância -
Eu gosto de abundância? De exageros? De ter ou possuir ou desejar muitas coisas ao mesmo tempo?

Bravura -
Eu sou destemido? Valente? Bravo com coragem?

Coragem -
Observe que Coragem e Bravura são muito próximos. Mas às vezes a pessoa tem coragem só em casos particulares, como alcoolizado, em grupo, em bando, contra pessoas fracas. Como é a sua coragem? 

Entendeu? Seria bom você estar com um dicionário à mão. Facilita muito a interpretação real do valor, sem ser o valor que você dá aquela palavra. Lembre-se, tente ser o mais isento possível.

Abundância Bravura Coragem Aceitação Brilho 
Cordialidade Acessibilidade Calma Cortesia Adaptabilidade 
Capacidade Credibilidade Adoração Caridade Crescimento 
Afeição Celebridade Criatividade Afluência Chefia 
Cuidado Agilidade Clareza Curiosidade Agressividade 
Compaixão Desafio Amizade Compartilhamento Descoberta 
Alegria Compostura Desejo Altruísmo Compreensão 
Desenvoltura Ambição Compromisso Destreza Amenidade 
Concentração Determinação Antecipação Conexão Dever 
Apoio Confiança Devoção Aprendizagem Conformidade 
Dignidade Assertividade Conforto Diligência Astuto 
Congruência Dinamismo Atenção Conhecimento Direção 
Atratividade Consciência Disciplina Audácia Contentamento 
Discrição Autoconfiança Continuidade Disponibilidade Autocontrole 
Contribuição Distância Aventura Controle Diversão 
Beleza Conveniência Diversidade Benevolência Convicção 
Doação Bondade Cooperação Domínio Economia 
Exuberância Imaginação Educação Fama Impacto 
Eficácia Família Imparcialidade Eficiência Fascinação 
Independência Elegância Fé Inspiração Empatia 
Felicidade Integridade Encanto Fidelidade Inteligência 
Encorajamento Filantropia Intensidade Energia Financeiro 
Intimidade Engenho Firmeza Intrepidez Entusiasmo 
Flexibilidade Introversão Equilíbrio Fluência Intuição 
Esperança Foco Invenção Espiritualidade Força 
Investigação Espontaneidade Franqueza Justiça Estabilidade 
Frieza Lealdade Estrutura Garantia Libertação 
Exatidão Generosidade Limitação Excelência Graça 
Limpeza Excitação Gratidão Lógica Exclusividade 
Harmonia Longevidade Expectativa Heroísmo Maturidade 
Experiência Higiene Meticulosidade Exploração Honestidade 
Mistério Expressividade Honra Modéstia Êxtase 
Hospitalidade Motivação Extravagância Humildade Nobreza 
Extroversão Humor Obediência Oportunidade Profundidade 
Sensualidade Ordem Prontidão Serenidade Organização 
Prosperidade Sexualidade Orientação Proximidade Significado 
Originalidade Prudência Silêncio Otimismo Pureza 
Simpatia Ousadia Razão Simplicidade Paixão 
Realismo Sinceridade Paz Realização Sinergia 
Perfeição Reconhecimento Sociabilidade Perseverança Recreação 
Solidão Persistência Reflexão Solidariedade Persuasão 
Relacionamento Suavidade Pertencer Relaxamento Sucesso 
Piedade Religiosidade Surpresa Poder Resiliência 
Tranquilidade Pontualidade Resistência Unidade Popularidade 
Resolução Utilidade Potência Respeito Valorização 
Pragmatismo Reverência Velocidade Praticidade Rigor 
Verdade Prazer Riqueza Vivacidade Precisão 
Sacrifício Presença Santidade Prevenção Satisfação 
Privacidade Saúde Proatividade Segurança Profissionalismo Sensibilidade

Na próxima postagem, seguiremos com o tema sobre Reflexão.

É isto aí!



quarta-feira, 29 de agosto de 2018

Lute como um Elétron


Dia destes fui dar uma palestra e uma das quatro únicas pessoas presentes, uma mocinha universitária, dando encantamento ao evento, levantou elegantemente o braço, aguardando meu sinal para pronunciar a fala. Assenti com o movimento clássico do olhar conjugado ao balanço da cabeça de forma afirmativa, conforme convenção mundial não documentada.

- Professor, não seria melhor então, dentro deste contesto de Inteligência Emocional, que a gente pense e aja como um próton, sempre de forma positiva?

- Bazinga, pensei. Esperei esta pergunta por anos a fio, e agora vem com o auditório repleto destas quatro mentes brilhantes. Ela desconhecia minha formação acadêmica na área, o que favoreceria o efeito kinder (do Mister Kinder-Ovo, sempre uma supresa). Devolvi a pergunta, com a maestria, com outra pergunta:
- Conceitue Próton, por favor.

- Hummm, ééééé, hummm, é aquele negócio que está sempre positivo dentro do átomo. Então, se eu ficar sempre positiva, não seria este o caminho da felicidade?

- Depende.

- Como assim, depende?

- Bem, é verdade que o próton está no núcleo dos átomos. E a sua carga positiva é convencionada, não há, como numa bateria ou numa pilha, um sinal + no Próton. 

- E???

- Você sabe como é um próton?

- Não, mas deve ser uma bolinha energética ... rindo da sua inocência.

- É quase isto. Um Próton é um Hádron, contendo três quarks ...

- Hã? Professor, que papo é este?

- Então, só para concluir o raciocínio de que ser Próton pode não ser tão legal, estes quarks, dois de carga positiva e um de carga negativa, são obrigados a permanecerem atrelados um ao outro, por uma força emanada por um outro elemento, os Glúons, os carcereiros do Núcleo. 

- Nossa, isto é história de terror ...

- E, olha, nem vou falar do Nêutrons, que dividem o apertado espaço do Núcleo com os Prótons e conferem estabilidade ao ambiente, e que também é constituído de três quarks. 

- Tem mais alguma coisa que não sabemos, professor?

- Bem, isto aqui é apenas um grão de areia na praia quântica. Além dos quarks e glúons, os átomos tem os fótons, os Bósons, o Gráviton, os top, bottom, charm, strange, up e down (estes dois últimos são os quarks que formam os prótons e os nêutrons), e os Léptons que são o múon, tau, neutrino do elétron, neutrino do múon e neutrino do tau, além do Elétron.

- Puxa vida, eu eu eu ... achava que sabia tudo de Química ...

- Bem, concluindo - Imagina você e uma amiga submetidas a uma força que as prendesse, com lacre, sem poder virar o rosto, ao cara mais chato da escola. Pois é, a resultante, em tese, seria positiva, mas o processo é torturante.

- Credo, já estou com raiva deste Próton positivo ...

- Calma, nem tudo é ruim assim. Os prótons, mesmo com esta camisinha de força, têm estados excitados designados ressonâncias. Cada próton, no estado de repouso pode ter vários estados excitados.

- Argh ... que nojo ...

- Mas nem tudo está perdido. Seja um Elétron. Ele não ocupa o lugar de outro, não tem zona de conforto e muro das lamentações, está sempre alerta, tem luz própria, muda de nível, muda de átomo, é leve, tem energia e não depende de ninguém. Enfim, fuja das convenções de que o positivo é bom e o negativo é mau. Pare de se preocupar com rótulos que te colocam. Ser positivo ou negativo é apenas convenção social, do ponto de vista dos outros.

- Uau, eu já me sinto e sei que sou um elétron ...

É isto aí!